quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Sala de Leitura: lançamento de "MUITA LUZ (BEAUCOUP DE LUMIÈRE)" de Berthe Fropo


Caros confrades, o mais novo livro publicado em nossa Sala de Leitura é um marco para as atividades da Equipe Luz Espírita, pois, realmente, esta não é uma obra comum, inclusive, é uma raridade, de uma importância histórica inestimável, cujas revelações demandam uma reflexão profunda sobre as origens do movimento espírita, lá na França, do final do século XIX e começo do século XX, e suas consequências para o movimento espírita atual.

O livro de que temos a satisfação de anunciar é Muita Luz, tradução do original em francês Beaucoup de Lumière, que, pelo seu abreviado conteúdo (a publicação original tem apenas 76 páginas), cabe ser chamado de opúsculo. Mas, em se tratando de importância, este pequeno livro torna-se gigante, como ficará evidente a seguir.

Beaucoup de Lumière de Madame Berthe Fropo


Madame Berthe Fropo e sua obra histórica

Para entender o contexto da obra, convém nos voltarmos para a sua autora. Berthe Fropo e seu esposo, Augustin Fropo, eram espíritas de carteirinha, membros da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, vizinhos e amigos íntimos do casal Kardec. Não apenas isso. Especialmente depois da desencarnação de Allan Kardec, Berthe Fropo era muito ligada a Amélie Boudet, a viúva Kardec, sendo Fropo, inclusive, quem vai socorrê-la após acidente fatal que ocasionou o falecimento de Madame Kardec.

Pois bem, Beaucoup de Lumière é fruto do zelo de Fropo pela Doutrina Espírita, e é por esta obra que hoje podemos nos inteirar de detalhes históricos muito relevantes para compreendermos o que se passou com o movimento espírita logo após a desencarnação do codificador do Espiritismo. Fropo então vai denunciar os desvios de conduta daqueles que se encarregaram de conduzir a Sociedade Espírita e demais atividades institucionais iniciadas por Kardec, por exemplo, a edição da Revista Espírita. Esses desvios, segundo Fropo, eram de ordem doutrinária e moral.


Os desvios do movimento espírita

Os desvios doutrinários apontados por Fropo dizem respeito à mistura de conceitos espíritas com ideologias novas que se apresentavam até como uma elaboração melhorada do Espiritismo, especialmente falando do Roustainguismo — a pretensa "revelação da revelação" — e da Teosofia da mística Madame Blavatsky — para quem a Filosofia Espírita não passava de uma seita atrasada.

Depois disso, Fropo vai tratar dos desvios morais dos dirigentes que então comandavam — e desfiguravam — a continuação das obras de Kardec, pelo que ela considerou como uma "questão financeira". No centro desse núcleo usurpador, a autora coloca Pierre-Gaëtan Leymarie, aquele que tanto havia sido ajudado pelo casal Kardec — financeiramente, inclusive.

Pierre-Gaëtan Leymarie

Fropo discorre, em tom grave de desabafo e quase desespero, sobre como Leymarie destratava Madame Kardec e a isolou das decisões do Comitê que cuidava dos projetos espíritas. Apossando-se de procuração dos membros dessa comissão, Leymarie agiu maquiavelicamente para apossar-se do comando espírita e praticar os mais absurdos desmandos — e, de acordo com Madame Berhte Fropo, por interesses materiais e iludido com as propostas dos roustainguistas e teósofos.


Repensando a historiografia espírita

Beaucoup de Lumière, como se vê, é um documento histórico valiosíssimo que nos ajuda a compreender por que o Espiritismo ruiu na sua terra natal de maneira tão rápida.

Essas revelações nos obrigam a repensar o legado de Leymarie, até então descrito como "um grande colaborador do Espiritismo". Na mesma proporção, põe em cena uma personagem que nos era desconhecida: Berthe Fropo, a quem devemos render homenagens.


O legado de Fropo

Ao bancar a publicação independente de seu opúsculo iluminativo, desafiando todos os preconceitos da sua época, Fropo não intentou apenas fazer uma denúncia, mas, como podemos ler na obra, principalmente objetivou alertar os "espíritas sinceros", conquanto lenientes demais com a situação, para o perigo que a Doutrina Espírita corria, sob os desmandos de Leymarie, e convocá-los para formar uma frente de resistência, em honra à codificação kardequiana — à qual ela demonstra sempre toda a consideração possível.

Ela também conta que, através de reuniões mediúnicas realizadas na casa da viúva do codificador, o Espírito Allan Kardec manifestou-se várias vezes, incitando seus confrades a tomar providências contra esse iminente mal que assolava a Doutrina Consoladora. Os desdobramentos seguintes são a fundação de uma nova entidade, a União Espírita Francesa, e seu órgão oficial de informação, o jornal O Espiritismo (Le Spiritisme). Fropo, inclusive, assume a vice-presidência da nova entidade; a presidência ficou a cargo do devotado Gabriel Delanne. Inicialmente, pensou-se em aclamar Amélie como a presidente desta União, mas ela recusou o convite, alegando as dificuldades naturais de sua idade, já que era octogenária.

É certo que Berthe Fropo não conseguiu "salvar" o movimento espírita francês que, como sabemos, praticamente desapareceu da França e demais países da Europa ainda no começo do século XX. Contudo, certamente a bravura daquela femme forte serviu para dar uma sobrevida ao movimento, sem o que, possivelmente, não teríamos conhecido a magistral obra de Léon Denis — à época, ainda um jovem que começava a despontar nas searas espiritistas. E quem conhece a contribuição de Denis para a Filosofia Espírita, sabe que prejuízo teria sido tal lacuna.


A tradução de Beaucoup de Lumière

O opúsculo de Berthe Fropo caiu no esquecimento do movimento espírita subsequente à sua geração e permaneceu na penumbra até pouco tempo, quando foi "garimpado" por pesquisadores espíritas que, através da internet, descobriram aquele que possivelmente é o único exemplar sobrevivente daquela publicação de 1884, que consta nos arquivos da Biblioteca Nacional da França (BnF) e cuja cópia digitalizada está acessível online através do site da Galica.

Foi a partir dessa cópia digital que se iniciou o projeto da tradução Muita Luz, que ora apresentamos, levada a efeito pelos colaboradores Ery Lopes e Rogério Miguez, com revisão de Jorge Hessen. Uma tradução nada fácil, diga-se de passagem, entre outras razões, porque a fotocópia sobrevivente e disponibilizada pela BnF não está totalmente legível, aliás, como contam os tradutores no prefácio desta edição.

Capa de Muita Luz (Beaucoup de Lumière)

Na disposição desta edição consta:
  • Prefácio: introdução da obra assinada pelos tradutores;
  • Muita Luz: o conteúdo da tradução, em português;
  • Beaucoup de Lumière: digitalização do texto original em francês;
  • Epílogo: arremate da publicação assinada pelos tradutores.
Os tradutores conservaram as notas de rodapé originais de Berthe Fropo e acrescentaram outras, contextualizando informações da tradução e da composição original.

Muita Luz (Beaucoup de Lumière) não está disponível em versão impressa, mas os editores a disponibilizam gratuitamente para download através da nossa Sala de Leitura e a partir daí, quem desejar poderá imprimi-lo livremente.


Os tradutores Ery Lopes e Rogério Miguez e o revisor Jorge Hessen


Documentos históricos complementares

Beaucoup de Lumière é uma espécie de dossiê que declaradamente levanta suspeitas sobre Leymarie e seus aliados dentro da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, do movimento roustainguista e da doutrina teosófica. E dada a urgência e gravidade da situação, a autora não é nada eufêmica em seus relatos, procurando mesmo ser a mais objetiva e clara possível, na expectativa de que seu apelo quase escandaloso se transformasse em ações concretas dos "espíritas sinceros" contra aqueles a quem Fropo considerava usurpadores da nossa Bela Doutrina.

Esse tom quase agressivo de Fropo pode suscitar questionamentos dos leitores, tal como: será que essas acusações não seriam frutos de um grande engano, de um surto de histeria de uma revoltada qualquer?

Quanto a isso, os tradutores fazem questão de dizer que a obra de Fropo é uma versão dos fatos envolventes, inclusive contestada pelo principal acusado  Leymarie. Portanto, é preciso ponderarmos sobre a veracidade das denúncias. Em vista disso, pesquisadores correm atrás de documentos e outros indícios que ajudem a desvendar o caso. E aí, com efeito, muitos vestígios encontrados recentemente podem corroborar com as acusações postas em Beaucoup de Lumière, senão em tudo, pelo menos na essência da coisa.

Dos desvios doutrinários, por exemplo, as mais salientes provas são dadas pelo próprio Leymarie: enquanto editor da Revista Espírita, ele fez daquele veículo um catálogo das mais esdrúxulas ideias místicas e esotéricas. Outros registros também dão conta de que Leymarie apossou-se ilegalmente dos bens materiais do casal Kardec, que deveriam ser destinados integralmente para as obras doutrinárias em favor do Espiritismo. Tanto que, após a morte de Leymarie, esses bens foram herdados e usados para proveito próprio de seus parentes, principalmente falando de sua esposa e seu filho, Paul Leymarie. Aliás, um dos espólios de Kardec ainda hoje conservados pelos herdeiros de Leymarie encontra-se na Rua Saint-Jacques, N° 42, da capital francesa, prédio onde, no primeiro piso, consta a "Librarie Leymarie", uma livraria espiritualista (livros esotéricos e místicos) e, no segundo andar, salas para consultas de ocultismo.


A livraria esotérica e as salas de ocultismo dos Leymarie

Um dos primeiros divulgadores das revelações de Berthe Fropo foi o pesquisador espírita Adriano Calsone, autor de Madame Kardec e Em Nome de Kardec, (disponível aqui) livros que tratam diretamente das revelações de Beaucoup de Lumière. Dois livros minuciosos e bem amparados por fontes confiáveis que merecem uma leitura atenciosa.


Interessante acrescentar também o livro Anticristo: Senhor do Mundo, de Leopoldo Cirne, muito desconhecido no meio espírita atual, mas recentemente posto em evidência através de uma resenha assinada por Antonio Cesar Perri de Carvalho, conforme publicamos aqui.


Muita Luz

O resgate dessa gigantesca obra, longe de meramente querer incriminar personalidades, é importante  além de sublevar a figura honrosa de Berthe Fropo  para nos fazer repensar o movimento espírita atual, a fim de não deixarmos ocorrer em nossa geração o que houve com o Espiritismo daqueles tempos. E é mesmo de pensarmos seriamente se nossa filosofia está livre daquelas velhas ideias de ocultismo, misticismo, esoterismo e modismos em geral...

Por tudo isso e muito mais, convidamos a todos para conhecerem Muita Luz (Beaucoup de Lumière), de Berthe Fropo, tradução de Ery Lopes e Rogério Miguez, revisão de Jorge Hessen, agora livremente disponibilizados na Sala de Leitura do Portal Luz Espírita.

Clique aqui para baixar Muita Luz (Beaucoup de Lumière) nos formatos PDF e ePUB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário